quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Te deixo pra sempre.


Você não viu, mas sangrou,

Sangrou lá dentro

Numa dor que nem uma faca de dois gumes seria capaz de causar

Queria-te tanto.

Amar-te sem ter medo de nada

Amar sem limites.

Quanto mais me ignorava

Mais eu gostava de você

Agora que sei que não posso te ter

Não tenho escolha

A não ser te deixar

Pra sempre

Com esse fim triste

Comemoro com uma dose de Tequila e

Dois drinques de Uísque

Nessa mistura de sangue com bebida

No rasgar da minha garganta

E no dilacerar do meu coração

Perco vontade de viver.

Um comentário:

Babado de menina, disse...

Menina!
É bem poetico mas é triste... É uma trizteza bela =)
Beijão!;***